Info Atualidade (379)

quarta-feira, 10 junho 2015 02:00

Pórtico da Língua Portuguesa

Hoje, 10 de junho, data em que se celebra o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, é lançado o Pórtico da Língua Portuguesa (PLP) em site. Um novo espaço concebido a pensar em todos os falantes de expressão portuguesa, porque só através de um bom domínio e uso correto da língua podemos ser verdadeiramente entendidos.

Fonte: PGL

 

O próximo dia 29 de março chega a Ourense a IX edição do festival ‘Português Perto. Aquelas nossas músicas‘, organizado pola Vice-Reitoria do Campus de Ourense-Universidade de Vigo em colaboração com a Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa (Pró-AGLP), a Associaçom Galega da Língua (AGAL) e a AC. Algaravia. O evento decorrerá até 6 de abril e achegará à cidade obradoiros, concertos e um roteiro arredor das músicas e líricas galegas e portuguesas.

“Pessoas e realidades que falam a nossa língua com diferentes musicalidades, cores, sabores e formas. Vamos fazer uma viagem pela língua portuguesa e a sua música. Vem connosco! Redescobre a Galiza através do Brasil, Angola, Portugal…”, animam desde a própria organização do festival.

O disparo de saida do evento será às 20 horas da sexta-feira 29 de março com o obradoiro ‘Danzas tradicionais portuguesas‘, da mão de Ana Silvestre. Será na Sala Emilia Pardo Bazándo Edifício de Facultades, onde às 22 horas o público poderá gozar também com um concerto de AnaMarSe Trío e Amoras Maduras, dentro da festa tradicional itinerante Venrespirar. Esta primeira jornada fechará com uma foliada aberta. Aquelas pessoas interessadas em participar podem inscrever-se através do Facebook da AC Algaravia ou no telefone 677090949.

‘Português Perto’ continua caminho na segunda-feira 1 de abril às 10.30 horas com uma atividade organizada por AGAL. A psicóloga e professora Graciela Lois ministrará o ateliê sobre língua e cultura lusófona Ops! O Português Simples que decorrerá na Sala 1.1. da Faculdade de Ciências Empresariais e Turismo ourensã.

Na mesmas semana, a quinta-feira 4 de abril, o festival prepara motores para o seu clímax com um concerto de hip-hop às 20 horas. Desde a própria Galiza vêm García MC & Dj Mil para se unir com Pegkagboom, Umano & Dj Kosn, que chegam desde São Tomé e Príncipe para oferecer uma sessão de música e ritmo ao público assistente à Sala Emilia Pardo Bazán do Edifício de Faculdades.

Por último, a jornada de 6 de abril começa às 10 horas com o roteiro Áuria Sueva desde a Praza Maior de Ourense . Também há programadas visitas ao Museu Provincial e o antigo Palácio Real Suevo (às 10.30 horas), ao Mosteiro de época Sueva de São Pedro de Rochas (em Esgos, às 11.30 horas) e à fortificação militar sueva em Paradela (Nogueira de Ramoim, às 12.30 horas). O almoço será em Luintra, paróquia deste mesmo concelho, às 13.30 horas.

José Manuel Barbosa abrirá o turno de tarde às 16.30 com a palestra ‘O Reino Suevo’. Será nos locais da Associação de Carrileiros de Ourense, na rua Canle, s/n, bairro de São Francisco, situado ao lado do Auditório de Ourense e do Mosteiro de São Francisco, no antigo quartel. O festival botará o feche até o próximo ano às 19 horas, com uma visita a Santa Comba de Bande e uma ceia na Arca da Noe, em Vilar de Santos.

O Português Perto nasce para aproximar a cultura lusófona ao público universitário e o de Ourense em geral, para que sintam a Lusofonia como lugar próprio da cultura galega. Para mostrar aquele nosso mundo linguístico e cultural; para evidenciar que, como galegas e galegos, podemos desfrutar da produção artística, musical ou cultural de Brasil, Angola, Portugal, Moçambique, Cabo Verde… interatuar com mais de 230 milhões de pessoas.

Ainda, para o público ver que, com a sua língua tem um horizonte cultural e linguístico muito mais amplo, para tentar quebrar os preconceitos e fronteiras que a maioria das pessoas colocam, e conseguir que sejam conscientes do mundo de possibilidades que esta via abre.

 

O evento no Fb: Português Perto

 

domingo, 06 novembro 2016 01:00

Entidade galega admitida na CPLP

O Conselho da Cultura Galega foi admitido como observador consultivo na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A decisão produziu-se durante a XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo, realizada em Brasília de 31 de outubro a 1 de novembro.


A CPLP é um foro multilateral criado em 1996. Atualmente está integrado por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. O regulamento dos Observadores Consultivos indica que "A categoria de Observador Consultivo pode ser atribuída a organizações da sociedade civil empenhadas nos objectivos prosseguidos pela CPLP, designadamente através do respectivo envolvimento em iniciativas relacionadas com acções específicas no âmbito da Organização".


Junto do CCG foi atribuída também a mesma categoria às seguintes entidades: Fundação João Lopes;  Instituto Pedro Pires de Estudos Cabo-Verdianos, da Universidade de Bridgewater (EUA);  Instituto para a Promoção e Desenvolvimento da América Latina (IPDAL);  Plataforma de Entidades Reguladoras da Comunicação Social dos Países e Territórios de Língua Portuguesa (PER);  DASP – Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa, e o Instituto Superior de Agronomia, da Universidade de Lisboa.

sábado, 04 novembro 2017 07:00

Falecimento de Maria Manuela Ribeira Cascudo

A AGLP teve a triste notícia do falecimento, no dia 3 de novembro, de Maria Manuela Ribeira Cascudo, ativista cultural lusófona e professora de língua e literatura galegas no ensino secundário.

Integrada em diversas associações culturais galegas, colaborou em numerosas iniciativas e atividades de difusão do reintegracionismo, bem como congressos internacionais para a promoção da língua.

Na página do Modelo Burela lembram que a Manuela, como muitas galegas, nascera fora da Galiza, concretamente na Bélgica, filha de emigrantes galegos. Passou os primeiros anos e parte da juventude como parte da emigração galega no país, frequentando o secundário nas localidades de Schaerbeek e Antuérpia.

Ainda que seus pais eram das Pontes, a vida levaria-a mais para o sul: depois de formar-se em Filologia Românica na Universidade de Santiago de Compostela, exerceria a docência nas localidades de Ginzo e Ourense. Para além disso, acabaria fixando a morada em Alhariz, junto o seu companheiro, o académico Isaac Alonso Estraviz.

Descanse em Paz.

Fonte: http://pgl.gal/deixou-nos-maria-manuela-ribeira-cascudo/


Os membros da AGLP Isaac Alonso Estraviz e Francisco M. Paradelo representaram a nossa instituição nos eventos culturais que tiveram lugar durante os dias 2 e 3 de maio, nas vilas de Amarante e Vila Real.

Joam Evans na Univ monnet

O académico Joám Evans Pim participa no encontro
"Assises des Langues Portugaise et Espagnole" em Saint-Etienne, França

Este encontro, que decorre na Université Jean Monnet durante os dias 20, 21 e 22 de janeiro, inclui 15 oradores, exposições e atuações musicais, com o patrocínio da Universidade Jean Monnet, a Université Sorbonne Nouvelle 3, e o Camões Instituto da Cooperação e da Língua.

 

O grupo DTS, com a colaboração, entre outras entidades galegas e portuguesas, da Academia Galega da Língua Portuguesa e da Associação Pró-Academia, organiza para os próximos dias 30 e 31 de maio a IV edição das Jornadas das Letras Galego-Portuguesas que terão lugar em Pitões das Júnias (Portugal).

sexta-feira, 17 abril 2015 20:30

Conferência "Português Língua Global"

Folheto / Programa

Academia Galega colabora na organização da Conferência "Português Língua Global" que terá lugar o dia 22 de abril na Universidade de Évora. Estarão participando os académicos Maria Dovigo e Ângelo Cristóvão.

Colóquios da Lusofonia

O Fundão (Portugal) vai acolher, entre 27 e 31 de março, o Colóquio da AICL - Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia, na sua 23ª edição, em que participarão Maria Dovigo e Concha Rousia, representando a Academia Galega da Língua Portuguesa, e os professores Xurxo Fernández e Antia Cortiças Leira.

Morreu ontem em Lisboa Amadeu Ferreira, aos 64 anos de idade. Poeta, jurista e professor universitário, foi um conhecido escritor em língua mirandesa, variedade do asturo-leonês. Trabalhou intensamente para que fosse reconhecida como a segunda língua oficial de Portugal no território de Miranda do Douro, onde atualmente é ministrada às crianças.

Pág. 1 de 28