Membros Numerários

Alonso Estraviz, Isaac (1935)

Alonso Estraviz, Isaac (1935)

01 junho, 2011 | Hits:3503

 Isaac Alonso Estraviz (*) É o primeiro vice presidente da Academia Galega da Língua Portuguesa, membro da Comi...

Rei Samartim, Isabel (1973)

Rei Samartim, Isabel (1973)

02 junho, 2011 | Hits:4039

 Isabel Rei Samartim Nasceu na Estrada. Titulou-se em 1995 no Conservatório Superior de Música, da Crunha, acaba...

Nozeda Ruitinha, Mário Afonso (1953)

Nozeda Ruitinha, Mário Afonso (1953)

02 junho, 2011 | Hits:3012

Mário Afonso Nozeda Ruitinha Nasce em Ourense. É professor Ensino Primário desde 1977; atualmente, no CEIP A Tor...

Martins Estévez, Higino (1941)

Martins Estévez, Higino (1941)

02 junho, 2011 | Hits:4183

Higino Martins Estévez Nasceu em Buenos Aires de pais galegos. Viveu oito meses na Galiza do ano 1947. Como advoga...

Paz Rodrigues, José (1950)

Paz Rodrigues, José (1950)

02 junho, 2011 | Hits:3779

José Paz Rodrigues É Professor de EGB (em excedência desde 1971), Licenciado em Pedagogia e Graduado pela Univer...

Gonçales Blasco, Luís (1941)

Gonçales Blasco, Luís (1941)

02 junho, 2011 | Hits:2859

Luís Gonçales Blasco, "Foz" Nado em Foz (1941), já desde a adolescência se interessa na identidade e na literat...

Durão Rodrigues, Carlos (1943)

Durão Rodrigues, Carlos (1943)

02 junho, 2011 | Hits:3690

Carlos Durão Rodrigues Nasceu em Madrid, de família galega com tradição emigrante (Brasil, Catalunha, Cuba, Ve...

Veiguela Martins, Crisanto (1959)

Veiguela Martins, Crisanto (1959)

03 junho, 2011 | Hits:3361

Crisanto Veiguela Martins Nasce em 1959 na vila da Veiga de Riba d’Eu, sob administração asturiana. Em Composte...

Rousia, Concha (1962)

Rousia, Concha (1962)

03 junho, 2011 | Hits:3604

Concha Rousia É vice-secretária da Comissão Executiva da Academia Galega da Língua Portuguesa, do Conselho de R...

Vásquez Freire, Xavier (1976)

Vásquez Freire, Xavier (1976)

03 junho, 2011 | Hits:3541

Xavier Vásquez Freire Nasceu na Crunha. Tem cursado estudos de Filologia Galega na Universidade da Crunha, além t...

Vilhar Trilho, Xavier (1943)

Vilhar Trilho, Xavier (1943)

03 junho, 2011 | Hits:3486

Xavier Vilhar Trilho (*) Nasceu no lugar de Bazarra, freguesia de Toba, concelho de Cée, província da Crunha. Lic...

Vásquez Corredoira, Fernando (1965)

Vásquez Corredoira, Fernando (1965)

03 junho, 2011 | Hits:3515

Fernando Vásquez Corredoira Nasceu na Crunha. Licenciou-se em Filologia Galego-Portuguesa na Universidade da Crunh...

Barbosa Álvares, José Manuel (1963)

Barbosa Álvares, José Manuel (1963)

01 junho, 2011 | Hits:4700

José Manuel Barbosa Álvares Nado em Ourense, é Diplomado em Professorado de Ensino Geral Básico pela Escola Uni...

Vidal Bouzon, Álvaro Jaime (1968)

Vidal Bouzon, Álvaro Jaime (1968)

03 junho, 2011 | Hits:3318

Nasceu em Irijoa (Crunha). É Licenciado em Filologia Hispânica pela Universidade de Santiago de Compostela, Diplomado ...

Álvarez Cáccamo Celso (1958)

Álvarez Cáccamo Celso (1958)

01 junho, 2011 | Hits:3241

Celso Álvarez Cáccamo Natural de Vigo, formou-se academicamente na Galiza, na Catalunha e nos Estados Unidos: na ...

Evans Pim, Joám (1983)

Evans Pim, Joám (1983)

02 junho, 2011 | Hits:4903

Joám Evans Pim  É editor e membro do Conselho de Redação do Boletim da AGLP. Nascido na Crunha, seguiu estudo...

Reimunde Norenha, Ramom (1949)

Reimunde Norenha, Ramom (1949)

02 junho, 2011 | Hits:3636

 Ramom Reimunde Norenha Nasceu na paróquia de São Martinho de Mondonhedo, no concelho de Foz, na Marinha de Lugo...

Rodrigues Fagim, Valentim (1971)

Rodrigues Fagim, Valentim (1971)

02 junho, 2011 | Hits:3571

 Valentim Rodrigues Fagim  Nasceu em Vigo. É licenciado em Filologia Galego-portuguesa pela Universidade de Sant...

Rodrigues Fernandes, Jose Ramão (1955)

Rodrigues Fernandes, Jose Ramão (1955)

03 junho, 2011 | Hits:3847

José Ramão Rodrigues Fernandes Nasceu no concelho do Incio (Lugo-Galiza), no lugar de Penaxubeira. Estudou eletr...

Paradelo Rodrigues, Francisco Manuel (1966)

Paradelo Rodrigues, Francisco Manuel (1966)

02 junho, 2011 | Hits:2875

Francisco Manuel Paradelo Rodrigues, "Xico" Nasceu em Ourense. Autor e dinamizador de banda desenhada, iniciou o se...

Vasques Souza, Ernesto (1970)

Vasques Souza, Ernesto (1970)

03 junho, 2011 | Hits:3732

Ernesto Vasques Souza  Nasceu na Crunha. Licenciado em Filologia hispânica (Subsecção de galegoportuguês) na U...

Gil Hernández, António (1941)

Gil Hernández, António (1941)

02 junho, 2011 | Hits:3490

António Gil Hernández É membro da Comissão de Lexicologia e Lexicografia, e diretor do Boletim da AGLP no Conse...

Soutelo, Rudesindo (1952)

Soutelo, Rudesindo (1952)

03 junho, 2011 | Hits:3509

Rudesindo Soutelo Nasceu em Valdrães-Tui (Galiza). Estudou nos Conservatórios de Vigo, Madrid e Schaffhausen (Sui...

Seoane Dovigo, Maria (1972)

Seoane Dovigo, Maria (1972)

12 junho, 2016 | Hits:2409

  Maria Seoane Dovigo nasceu na Corunha em 1972. É licenciada em Filologia Hispânica pela Universidade da Co...

Patronato da Fundação Academia Galega da Língua Portuguesa

11 agosto, 2020 | Hits:479

Alonso Estraviz, Isaac (1935) Álvarez Cáccamo Celso (1958) Barbosa Álvares, José Manuel (1963) Brea Hernández, Âng...

Brea Hernández, Ângelo José (1968)

Brea Hernández, Ângelo José (1968)

01 junho, 2011 | Hits:3132

Ângelo José Brea Hernández Nasceu em Santiago de Compostela. Licenciado em Filologia Hispânica pela Universidad...

Herrero Valerio, Mario (1968)

Herrero Valerio, Mario (1968)

12 junho, 2016 | Hits:2162

  CURRICULUM VITAE   Mário J. Herrero Valeiro   Corunha (02-02-1968)    ...

Montero Santalha, José-Martinho (1947)

Montero Santalha, José-Martinho (1947)

02 junho, 2011 | Hits:3492

José-Martinho Montero Santalha É o primeiro presidente da Academia Galega da Língua Portuguesa, membro da Comiss...

Trilho, Joám (1942)

Trilho, Joám (1942)

03 junho, 2011 | Hits:3542

Joám Trilho Nasce no município de Negreira, Crunha. Estudou no Seminário de Santiago; Canto Gregoriano, Musicolo...

Cristóvão Angueira, José Ângelo (1965)

Cristóvão Angueira, José Ângelo (1965)

02 junho, 2011 | Hits:4157

José Ângelo Cristóvão Angueira É o primeiro secretário da Comissão Executiva da Academia Galega da Língua P...

Membros Numerários

Membros Numerários (30)

Reimunde Norenha, Ramom (1949)

 Ramom Reimunde Norenha

Nasceu na paróquia de São Martinho de Mondonhedo, no concelho de Foz, na Marinha de Lugo, em cujo escudo de armas figura um navio veleiro e três árvores, que preanunciaria os seus amores: o mar e as árvores florestais. Seguiu estudos na escola rural de Ferreira a Velha, em Xixón, no internado claretiano, em Oviedo na Faculdade de Ciências, e em Madrid, na Escola Superior de Engenheiros Navais. Em 1968 viu-se envolvido em revoltas; relacionou-se com Tierno Galván e o PSP.

Regressado à Galiza, na Crunha estudou Náutica, até lograr o título de Capitão da Marinha Mercante, equivalente em Portugal a Comandante de navio, que depois homologaria com o internacional de Master pela República de Liberia. Com essa profissão percorreu os mares do mundo em barcos espanhóis e estrangeiros. Na altura já iniciara estudos de filologia na Faculdade de Compostela, convertido ao galeguismo, anárquica e espontaneamente, mercê de leituras e amigos, entre eles Antom Meilám. Licenciado em Filologia Hispânica em 1979 e em Galego-Portuguesa em 1982, começou a trabalhar no Ensino Público nos Liceus de Viveiro, Lugo, e afinal no IES de Foz, onde atingiu a condição de Catedrático em 1992.

Escreveu, desde moço, mas de regresso à Galiza, publicou centos de artigos em jornais, nomeadamente em El Progreso de Lugo e La Voz de Galicia, sobre temas literários, linguísticos, marítimos ou florestais. Como professor de Língua Galega, sempre defendeu o reintegracionismo na prática das aulas, o qual lhe causou não poucos problemas; foi inovador ao empregar métodos de vanguarda então, realizar vídeos didáticos, entrevistas audiovisuais, cursos por rádio... Deu palestras, colaborou em revistas, traduziu literatura infantil para galego reintegrado (Mafalda entre outras) e participou ativamente em jornadas do ensino e congressos, mormente nos organizados por AGAL e pela Xunta, além de outras atividades culturais nacionais. Reconhece que foi trabalhador ativo e muito idealista, com esperança de uma Galiza melhor e nossa.

Escreveu livros de crítica literária de feição pessoal: Poesia Galega Completa de Leiras Pulpeiro, 1983; Trebom de Armando Cotarelo, Agal-1984; Bem pode Mondonhedo desde agora (Prémio de ensaio Ánxel Fole em 1998, sobre Leiras). Também escreveu sobre Costumes antigos de Galiza, e uma crónica romancística sobre o mar e os pescadores do bonito, A Costeira, em 2006.

Está a escrever uma história florestal do mato na Galiza, desde a sua experiência, O Segredo do monte, porque desde 1990 preside uma SAT e trabalha em plantações e em implantações de associações de propietarios florestais locais, nomeadamente em Promagal, da que foi secretário e desenhador.

Vai para vinte anos que mora na sua antiga casa fidalga familiar em Adelã (Alfoz) com a mulher, de Carnota, e os três filhos, agora universitários ausentes. Leva vida retirada e solitária, longe do mundanal ruído. Como ele reconhece, gosta do seu labor no ensino e dos livros; ama o mar e o mato, as árvores e os navios, e o seu país e a língua dos seus por cima do razoável. Mas considera que a sua pátria é a Língua Portuguesa, como Pessoa, e que é galego pela graça do idioma comum, como Castelão.

Ler mais ...

Rei Samartim, Isabel (1973)

 Isabel Rei Samartim

Nasceu na Estrada. Titulou-se em 1995 no Conservatório Superior de Música, da Crunha, acabando os estudos com o professor António Rocha Álvarez. Posteriormente completou a sua formação em cursos itinerantes com o grande músico David Russell e na Hochschule für Musik «Franz Listz» de Weimar (Alemanha) com Thomas Müller-Pering. No ano 1995 Caixa Galicia patrocina na cidade da Crunha o seu primeiro concerto.

Foi premiada no Ciclo de Jóvenes Intérpretes da Fundação Pedro Barrié de la Maza (Crunha, 1999), no Concurso Internacional de Guitarra de Cantabria (Comillas, 1999), no Concorso Internazionale di Chitarra Fernando Sor (Roma, 2001) e nos Concursos Internacionais de Guitarra Vila de Petrer (Alacant, 2002) e Andrés Segovia de Linares (Jaén, 2002).

Tem participado nos Festivais de Guitarra de Udine (Friuli, Itália, 2002, 2005, 2008) e Festival de Primavera (Vigo, 2004, 2005, 2006, 2007), atuando também no Via Stellae (Compostela, 2006) e Festigal (Compostela, 2007), na Semana do Corpus (Lugo, 2002) e nos Colóquios da Lusofonia (Bragança e Açores, 2006, 2007, 2009).

Foi sócia da Sociedade Cultural «Marcial Valadares» da Estrada e integrante do grupo social Assembleia da Língua. Tem participado na Sessão Inaugural da Academia Galega da Língua Portuguesa com a estreia da suite Deu-la-deu, para guitarra, do compositor Rudesindo Soutelo, e também com uma seleção de obras do espólio de Marcial Valladares, inteletual e músico galego.

Participou no Congresso de Cultura Popular (1999) organizado pela Câmara Municipal da Maia (Portugal) com a comunicação: «A recuperação da música do povo na Galiza: à procura de uma voz perdida» em colaboração com Mª Carmen Rodríguez Mayán.

Participou no congresso internacional sobre estudos em língua portuguesa Colóquios da Lusofonia nas edições de 2006, 2007 e 2009, com recitais de música e as comunicações «A guitarra no Arquivo Valladares: música galega na lusofonia» e «Guitarra e poesia: Rosalia de Castro e Avelina Valladares, escritoras e músicas da lusofonia».

Realizou a transcrição para guitarra de seis temas tradicionais rianjeiros intitulada Suite Rianjeira para guitarra, flauta, voz e percussão, estreada em Taragonha, Rianjo, no ano 2007. Estreou em 2008 a Sonata para guitarra em três andamentos (Allegro. Libremente. Scherzo) de Antonio Rocha.

Em abril de 2010 participa no Fórum Internacional da Lusofonia organizado em Brasília (Brasil) pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa, CPLP. Toca no Rio de Janeiro e em Florianópolis, onde apresenta o primeiro volume da coleção de Clássicos da Galiza, Cantares Galegos, de Rosalia de Castro. Junto com José Luís do Pico Orjais realiza a edição crítica do Cancioneiro de Marcial Valladares, publicado em 2010 pela editora Dos Acordes com patrocínio da Central Folque e a Academia Galega da Língua Portuguesa.

Em abril de 2011 realiza a abertura do III Congresso Internacional sobre Cultura Céltica com um recital de melodias populares dos diversos países celtas arranjadas para guitarra, intitulado “Suite Céltica”. Em julho participa junto com Ugia Pedreira na homenagem a Rosalia de Castro, apresentando canções, arranjadas para canto e guitarra, do cancioneiro de Valladares. Em setembro consegue o Diploma de Estudos Avançados pela Universidade de Santiago de Compostela, USC, com o trabalho “Iconografia musical em Santiago de Compostela: do século XII ao XIX” .

Trabalha como professora de guitarra no Conservatório Superior de Música de Santiago de Compostela.

Ler mais ...

Paz Rodrigues, José (1950)

José Paz Rodrigues

É Professor de EGB (em excedência desde 1971), Licenciado em Pedagogia e Graduado pela Universidade Complutense de Madrid (1966-1971) com a Tese de Licenciatura sobre A Bemposta de Ourense (1973). Conseguiu o Doutoramento na UNED com a Tese Tagore, pioneiro da nova educação.

Entre outras, realizou as seguintes atividades profissionais: Professor na Faculdade de Educação de Ourense (Universidade de Vigo); Professor-Tutor de Pedagogia e Didática no Centro Associado da UNED de Ponte Vedra desde o curso 1973-74 até à atualidade; Subdiretor da Escola Normal de Ourense do ano académico de 1987-88 ao de 1989-90 e Diretor nos últimos tres meses do curso 1989-90.

Levou adiante atividades educativas e de renovação pedagógica: Presidente da Federação Galega de MRPs (Movimentos de Renovação Pedagógica) e do MRP “ASPGP” (Associaçao Sócio-Pedagógica Galaico-Portuguesa) até hoje: membro da Comissão organizadora do I Congresso Estatal de MRPs (Barcelona, dezembro de 1983); membro da Comissão redatora do Plano Galego de Formaçóm continuada do professorado (1990); presidente da comissão organizadora da Escola Internacional de Verão Jornadas do Ensino de Galiza e Portugal, iniciadas em 1976 até hoje; presidente da Comissão Organizadora das Escolas de Verão na Crunha, Ferrol (desde 1994), Tui-Comarca do Baixo-Minho, Verim-Comarca de Monterrei, Monforte, Corcubião, Lalim, Vimianço; das Jornadas Sócio-Educativas de Valdeorras, Riba d’Avia, Celanova, Ponte Vedra; organizador de Ciclos de cinema psico-pedagógico, cinema educativo-didático, educativo sobre a paz, educativo sobre as áreas transversais do ensino, educativo sobre os direitos humanos, educativo-ecológico, educativo sobre a mulher, educativo-social, direito e cinema, literatura e cinema. Organizador de várias ediçoes da Mostra de Recursos Didácticos Alternativos, da Mostra do Livro Português na Galiza, de Encontros de Jogos Populares Galaico-Portugueses; diretor para Galiza de O Ensino; membro do Conselho redatorial das revistas lusófonas Nós e Cadernos do Povo. No presente pertence ao conselho redatorial da revista Agália.

Para além, foi Decano do Colégio Provincial de Doutores e Licenciados de Ourense (1980-1985); diretivo do Cine Clube “Padre Feijóo” de Ourense (19721995); e vogal da Federação Galega de Cine Clubes.

Tem publicado: A festa dos maios na escola (1991), Ourense, ASPGP. Artigos sobre temas educativos e sobre Tagore, nas revistas O Ensino, Nós, Cadernos do Povo, Vida Escolar, Comunidad Educativa, Padres y Maestros, BILE, Agália, Temas de O ensino, The Visva Bharati Quarterly, Jignasa (em bengali), ... Artigos sobre tema cultural, nomeadamente sobre a Índia, no Portal Galego da Língua, A Nosa Terra, La Región, El Correo Gallego, A Peneira, Semanário Minho, Faro de Vigo, Teima, Tempos Novos, Bisbarra, Ourense,... Unidades didáticas sobre Os magustos, Os Direitos Humanos, A Paz, O Entroido, As árvores, Os Maios, A Mulher, O Meio ambiente; Rodrigues Lapa, Celso Emílio Ferreiro, Carvalho Calero, São Bernardo e o Cister em Ourense, em condição de coordenador do Seminário Permanente de Desenho Curricular dos MRPs ASPGP e APJEGP.

Ler mais ...

Paradelo Rodrigues, Francisco Manuel (1966)

Francisco Manuel Paradelo Rodrigues, "Xico"

Nasceu em Ourense. Autor e dinamizador de banda desenhada, iniciou o seu trabalho neste âmbito com o reconhecido coletivo Frente Comixário em 1989.

Desde aquela participou na organização das Xornadas de Banda Deseñada de Ourense ou no I Encontro de Debuxantes Galegos entre outras iniciativas.

Fundador da publicação BD Banda, é também um dos autores da guia didática e mais da exposição As bases da banda, que compila propostas didáticas arredor da banda desenhada e que está na atualidade a se distribuir por centros de ensino e bibliotecas. Militante da cultura e ativista também do humor gráfico é um dos autores da História da Língua em Banda Desenhada, em colaboração com o Grupo Reintegracionista Meendinho.

Tem colaborado em diferentes publicações de humor e BD, tais como XO, O Pasquim, ou Retranca. Também é membro de diferentes movimentos sociais e culturais, como A Gente da Barreira ou a Coordenadora Galega de Roteiros, sendo um dos fundadores do Movimento Defesa da Língua.

Ler mais ...

Nozeda Ruitinha, Mário Afonso (1953)

Mário Afonso Nozeda Ruitinha

Nasce em Ourense. É professor Ensino Primário desde 1977; atualmente, no CEIP A Torre-Ilha de Arouça. Licenciado em História e Geografia pela Universidade Sul da Galiza em Ourense (1996), possui a habilitação em português pela Escola de Línguas de Ourense (2002).

Membro da AGAL e do Conselho Assessor da revista Agália desde 1987, fundou Docentes contra a Repressão Linguística (na década de 1990) e colabora no Movimento Defesa da Língua.

É também sócio fundador de Além - Minho, distribuidora na Galiza de livros e materiais audiovisuais em português, alicerce da atual Livros Portugueses; membro fundador do Clube Reintegracionista do Salnês (CRÊS); diretor dos anos 1988 a 1990 do Seminário de Língua Portuguesa com aulas semanais de História e Cultura; co-organizador em 1989 do Cruzeiro da Língua (Embarca-te no galego-português), périplo de dous dias pela ria de Arouça e arraial e pernoita na Ilha de Ons. Organizou e coordenou os Convívios Galego-Portugueses em Guimarães (na década de 1990) e os Encontros Culturais no Linhal da Corredoura (Guimarães); também o 25 Anos do 25 de abril, na A. C. Auriense de Ourense com os testemunhos, a música e a poesia de Tino Flores, cantor da Revolução dos Cravos e Firmino Ribeiro Mendes, professor e poeta, 1o Prémio de Escritores Novéis outorgado pela AELP.

Para além, cumpre apontar no seu percurso biográfico os seguintes factos: Desde início no Condado do Minho (lá vão 30 anos) sempre lecionou em galego não institucionalizado. Em 87-88, após 10 anos de progressão lógica começa a lecionar na Ilha de Arouça na normativa portuguesa; em março de 1988 é ameaçado de expediente e impedido de ministrar aulas em oitavo ano; no ano 1988-89 a Delegação de Educação abre-lhe expediente e é suspendido por um ano. Em 1989-90, banido dos níveis superiores é obrigado a escolher 3º ano. Não obstante, consegue criar uma aula estável de português e juntar 12 alunos (metade da turma deste nível que lhe fora atribuída), enquanto os pais dos seus alunos ganham as eleições ao Conselho Escolar com participação de 60% de eleitores. Por lecionar em português, na primavera de 1990, expulso do ensino por 9 anos.

Artigos e comunicações: (1994) «Contingentes da Galiza Antiga no exército romano»; (1995) «O mundo urbano na Galiza Medieval» (ambos na Universidade Sul da Galiza em Ourense); (1995) «A repressão do português na Galiza» na homenagem dos países de língua oficial portuguesa á Lusofonia perseguida (Galiza, Timor-Leste, Olivença), Teatro Central da Covilhã (Beira Baixa).

Ler mais ...

Montero Santalha, José-Martinho (1947)

José-Martinho Montero Santalha

É o primeiro presidente da Academia Galega da Língua Portuguesa, membro da Comissão de Lexicologia e Lexicografia, e subdiretor do Boletim da AGLP no Conselho de Redação e Administração da revista.

Nasceu na freguesia de Cerdido (A Crunha). Realizou os estudos eclesiásticos no Seminário de Mondonhedo e na Universidade Gregoriana de Roma. É licenciado en Teologia (pela Universidade Gregoriana), em Filosofia (pela Univversidade S. Tomás, de Roma) e em Filologia (pela UNED), e doutorou-se em Filologia com uma tese sobre as rimas da poesia trovadoresca (em 2000, Universidade da Crunha).

Exerceu primeiramente a docência de Teologia na Universidade Gregoriana e no Centro de Estudos Eclesiásticos de Santiago, de Língua Inglesa em vários centros de Ferrol, e desde 1994 é professor de Língua e Literatura Galegas na Universidade de Vigo.

Durante a sua estadia em Roma (1965-1974) foi membro ativo do grupo «Os Irmandiños», constituído por galegos residentes em Roma e preocupados pela recuperação da língua portuguesa da Galiza na vida da Igreja galega (e da sociedade galega em geral). Foi também um dos assinantes do Manifesto para a supervivência da cultura galega, elaborado igualmente em Roma por um grupo de galegos e publicado em 1974 nas revistas Seara Nova, de Lisboa (dirigida na altura por Rodrigues Lapa), e Cuadernos para el diálogo, de Madrid.

Tem colaborado en diversas publicações con trabalhos de temática preferentemente linguístico-literária ou religiosa. Participou na tradução da Bíblia (Novo Testamento) ao galego. Foi membro fundador das revistas Boa Nova, Encrucillada, O Tempo e o Modo, Agália e Estudios Mindonienses.

Participou também na fundação de diversas associações culturais galegas, como a Associaçom Galega da Língua (AGAL), as Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, a Associação Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa, e foi eleito presidente da AGLP quando esta se constituiu em setembro de 2008.

Publicou Directrices para a reintegración lingüística galego-portuguesa (Ferrol 1979), Método prático de língua galego-portuguesa (Ourense 1983), Carvalho Calero e a sua obra (Edicións Laiovento, Santiago 1993), Oxalá voltassem tempos idos! Memórias de Filipe de Amância, pajem de Dom Merlim (Edicións Laiovento, Santiago 1994).

Ler mais ...

Martins Estévez, Higino (1941)

Higino Martins Estévez

Nasceu em Buenos Aires de pais galegos. Viveu oito meses na Galiza do ano 1947. Como advogado, foi assessor do Banco Español del Río de la Plata e secretário do diretório. Como professor em Letras (Filologia), foi titular das cátedras de História da Língua Castelhana, de Introdução à Linguística e de Filologia Românica, na Universidad del Salvador.

Desde 1977 leciona português da Galiza em instituições galegas de Buenos Aires, e estudos célticos desde 1994 no Instituto Argentino de Cultura Galega. Ditou, entre outros, cursos sobre Religiom e Mitologia Célticas, Proto-história da Galiza, Legado céltico na cultura ocidental, Língua Céltica Antiga Comum e História dos povos célticos.

Concorreu aos três primeiros Congressos Internacionais da Língua Galego-Portuguesa na Galiza, organizados pela AGAL, em 1984, 1987 e 1990, e enviou contributo ao do ano 1993. Organizou dous Simpósios Internacionais da Língua Galego-Portuguesa, no Centro Galego de Buenos Aires, em 1983 e 1985. Partici- pou nas Jornadas sobre Línguas Célticas, em Buenos Aires, no ano 2002.

Tem publicado os seguintes livros: Cantares Galegos de Rosalia (1986), edição reintegrada e anotada, Caixa Ourense; Quadros de Gramática Galega (1992.1995), Buenos Aires, Amigos do Idioma Galego, Buenos Aires, 1992 e 1995); Conjuro da Queimada (2008), Buenos Aires, Andrómeda; As Tribos Calaicas, Proto-história da Galiza à luz dos dados linguísticos (2008), Sant Cugat del Vallès, Edições da Galiza. De aparição próxima: Ensaio de Gramática do Céltico Antigo Comum.

É autor de artigos e estudos, como «Dos três Lúgoves Arquienos ou do que duas inscrições latinas nos ensinam sobre o passado da Galiza» (1978), Grial (Vigo) núm. 59, Vigo; em Agália (Ourense) núm. 31, 1992; «Luz léxica na história da cultura galega», em parte nas atas do I Congresso da AGAL, 1984; «Novas olhadas no léxico galego», em parte nas atas do II Congresso da AGAL, 1987; «Mais vozes a resgate da memória», parcialmente nas atas do III Congresso da AGAL, 1990; «Cancioneirinho Céltico, antologia bilíngue de antiga poesia céltica», Agália (1990), núm. 24; «Blanco-Amor professor de galego e outros labores seus em Buenos Aires», Agália (1993), no 33; «Ainda mais vozes a resgate da memória», parcialmente nas atas do IV Congresso da AGAL, 1993; «O Mistério de Santiago», revista Galicia, do Centro Galego de Bs. Aires, 1997; Boletim Adigal nº 7, 1998. Publica, desde 1999, em Sitio al Margen (www.almargen.com.ar) e em Adigal (www.adigal.org.ar).

Traduziu obras de Rosalia, Pardo Bazán, Fernández Flórez, Roberto Arlt, Yeats, Cunqueiro e Pérez Lugín, assim como de de textos tradicionais irlandeses: Compert ConCulainn, Macgnímrada ConCulainn, Tochmar Emire, Fled Bricriu ocus in Curathmír Emna ocus in Bríatharchath ban Ulad, Dán mac nUisnig e parcial da Táin Bó Cuailnge.

Ler mais ...

Gonçales Blasco, Luís (1941)

Luís Gonçales Blasco, "Foz"

Nado em Foz (1941), já desde a adolescência se interessa na identidade e na literatura da Galiza. Começa, em Madrid, estudos de Ciências; lá entra em contato com o fato de estudantes e trabalhadores galegos Brais Pinto onde se forma politicamente no nacionalismo galego e, socialmente, na esquerda: conheceu Méndez Ferrín que influiu muito nele como reflete no artigo «Ferrín na minha vida», publicado na obra coletiva A semente da nación soñada. Homenaxe a Méndez Ferrín (Xerais/Sotelo Blanco, 2008).

Em Compostela toma parte ativa no movimento estudantil dos anos sessenta.

Cofundou o Conselho da Mocidade, organização juvenil para recuperar o galeguismo político, que liquidaram Ramón Piñeiro e outros. Em julho de 1964 participa na fundação da União do Povo Galego.

Pelas suas atividades políticas no campo nacionalista e estudantil, em 1968 tem de se exilar a França, onde continua a trabalhar para a União do Povo Galego; é o primeiro responsável pela criação da secção europeia da mesma. Quando consegue o passaporte espanhol, em 1977, viaja à Galiza e a sua vida discorre entre ambos os países. Em 1978 começa uma aventura, com alguns amigos, como livreiro em Viveiro, nesta altura ainda alterna a sua vida entre França e a Galiza.

A livraria acabaria em fracasso económico, embora lograsse notável sucesso cultural. A seguir, acha o seu futuro no ensino, ao superar as oposições para professor de secundária de Língua e Literatura Galegas nos inícios dos oitenta. É na altura que ingressa na Associaçom Galega da Língua, de que foi vice-presidente.

Ler mais ...

Gil Hernández, António (1941)

António Gil Hernández

É membro da Comissão de Lexicologia e Lexicografia, e diretor do Boletim da AGLP no Conselho de Redação e Administração da revista.

Nascido em Valhadolid (“Comunidad de Castilla y León” no “Reino de España”), vive na Galiza desde 1969. Licenciado em “Filosofía y Letras”, secção Românicas, subsecção Espanhol, pela Universidade de Santiago de Compostela, exerceu a docência no Colégio Universitário da Crunha, dependente então da Universidade de Compostela, como professor de Linguística Geral e Crítica Literária. Também exerceu a docência no IES "Salvador de Madariaga", na Crunha, desde o ano 1978 até ao 2010, em que se reformou como funcionário do reino da Espanha. Desde novembro desse ano continua a gozar do estado de "classe passiva" levando adiante algumas atividades, relativamente humanas.

Cofundou a Associaçom Galega da Língua em 1981, de que foi secretário. Entre outras entidades, participou ou participa na Associação Sócio-Pedagógica Galega, nas Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, na Associação de Amizade Galiza-Portugal, assim como na Sociedad Española de Linguística.

Começou a colaborar nos Colóquios da Lusofonia em 2006, «Do Reino da Galiza até aos nossos dias: a língua portuguesa na Galiza», com a comunicação intitulada «Aos 100 anos da Real Academia Gallega de la Coruna. Mais uma análise de discurso.» Nesse colóquio puseram-se as bases para a constituição da AGLP.

Entre as suas publicações destacam-se: Que galego na escola? (1984), coletivo, e Silêncio ergueito (1996), ambos nas Eds. do Castro. No primeiro, expõe as denominadas «Teses reintegracionistas” ou “integracionistas” das falas galegas à língua comum, portuguesa. No segundo compila artigos jornalísticos de 1979 a 1982.

Em 2005, a Associação de Amizade Galiza-Portugal publica-lhe Temas de Linguística Política, seguidos dum avanço de Temas de Política Linguística.

Leves reflexões sobre política nacional “española”. É editor da Obra selecta (poesia e ensaio) de João Vicente Biqueira (1998), como núms, 43-46 de Cadernos do Povo. Revista Internacional da Lusofonia.

Artigos seus foram publicados nas revistas Agália, O Ensino, Nós, entre outras.

Participou nos Congressos organizados pela AGAL e pelas IFG-P. Também é autor de textos literários, como Baralha de sonhos (1985), Luzes e espírito (1990) e, em volume coletivo, Só para falar de amor (1991), publicados em suporte papel; como livros-e, no portal brasileiro Recanto das Letras, estão Ela e Ele (2009), Rimas a Amarílis (2008) Silveira Lírica (I) (2008), Ut Pictura... Poemas a Cármen Nóvoa (2008), Tractatus de Euphemica Dictione (2008) “conversa lírica com Cristina de Mello”, Do Amor de Tudo Quanto é Livre (2008), versão corrigida da Só para Falar de Amor, Luzes e Espírito (2008), versão corrigida da edição em livro, Contos Nada Exemplares (2008), antologia dos publicados com esse título no PGL.

Ler mais ...

Evans Pim, Joám (1983)

Joám Evans Pim

 É editor e membro do Conselho de Redação do Boletim da AGLP.

Nascido na Crunha, seguiu estudos de graduação em Jornalismo na Universidade de Santiago de Compostela e em Antropologia Social e Cultural na Universidade Nacional de Educação a Distância. Realizou o mestrado no programa de Comunicação e Jornalismo da Universidade de Santiago de Compostela, alcançando em 2007 o Diploma de Estudos Avançados; e em Paz e Segurança Internacional no Instituto Universitário “General Gutiérrez Mellado”, alcançando o Diploma de Estudos Avançados também em 2007. Completou a sua tese de doutoramento na Universidade de Santiago de Compostela, pendente de sua defesa.

Foi Professor no Departamento de Comunicação da Universidade de Santiago de Compostela e Diretor do Curso de Especialização em Estudos Árabes e Islâmicos da Universidade Internacional Menéndez Pelayo. Em 2007 foi Visiting Research Scholar no Spark Matsunaga Institute for Peace da Universidade do Havaí.

Reside no Brasil trabalhando como coordenador de comunicação e pesquisa na organização não governamental Center for Global Nonkilling, sediada no Havaí.

Entre outras posições incluem-se: presidente do Instituto Galego de Estudos de Segurança Internacional e da Paz (2005-2009), Secretário Executivo do Observatório Galego da Mídia (2006-2008); Secretário da Presidência da Federação Lusófona de Ciências da Comunicação (2006-2007); Membro do Conselho Assessor do Centro de Estudos de História do Atlântico (Governo Autónomo da Madeira); Membro do Conselho Assessor da Revista de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense; Assessor do Centro de Estudos Estratégicos da Universidad del Rosario (Colômbia); Diretor das revistas Asteriskos e Strategic Evaluation.

Entre as suas publicações, destacam-se algumas em que participou como editor ou autor: Toward a Nonkilling Paradigm (2009); Brazilian Defence Policies. Current Trends and Regional Implications (2009); Traditional Marking Systems: Presence, Symbolism and Usage (2009); I+D+i: novos marcos, novos retos (2008); Entre os outros e nós. Estudos literários e culturais (2008); Estudos árabes e islâmicos. Perspectivas desde as ciências sociais (2008); Mulheres em conflito. Presenças e ausências (2007); Mocidade Investigadora Galega (2007); Essays on Atlantic Studies. Rediscovering the Atlantic Maze (2006); Estudos Atlânticos. Novos rumos para uma matriz multidisciplinar circum-atlântica (2006); Paz e segurança para o século XXI (2006) e Contributos para a compreensão (2005).

Também contribuiu numerosas entradas em obras de referência como a The Oxford International Encyclopedia of Peace (Oxford University Press) ou a International Encyclopedia of Political Science (CQ Press/Sage). Outras publicações destacadas são o estudo introdutório à edição portuguesa d’À Paz Perpétua por Immanuel Kant assim como numerosos artigos em publicações periódicas como Brazilian Journalism Review (Brasil); DEF (Argentina); Nação e Defesa (Portugal); Indaga (Ilhas Canárias); ANTROPOlógicas (Portugal); Geopolítica (Portugal) ou Revista de Antropología Experimental (Reino da Espanha).

Ler mais ...
Assinar este feed RSS
×

Sign up to keep in touch!

Be the first to hear about special offers and exclusive deals from TechNews and our partners.

Check out our Privacy Policy & Terms of use
You can unsubscribe from email list at any time