quarta, 15 março 2017 00:00

I Encontro de mulheres da Lusofonia

I Encontro de mulheres da Lusofonia: Mulheres, territórios e memórias


A Academia Galega da Língua Portuguesa e a Associação Pró-AGLP organizam o I Encontro de Mulheres da Lusofonia: Mulheres, territórios e memórias. O encontro visa conhecer o labor das mulheres nos movimentos cívicos e no mundo académico no espaço da lusofonia e abrir por este meio uma via de reconhecimento e colaboração entre o movimento reintegracionista e os movimentos cívicos de aquele espaço.
Ainda durante o encontro terá lugar a assinatura dos protocolos de colaboração entre a Pró-AGLP e as duas associações representadas no encontro, a UMAR-União de Mulheres Alternativa e Resposta e a Femafro-Associação de Mulheres Negras, Africanas e Afro-descendentes em Portugal, com o intuito de reforçar e diversificar as relações da Pró-AGLP com outras associações do espaço da língua portuguesa.
O encontro decorrerá nos dias 18 e 19 de março, no Museu da Límia, em Vilar de Santos (Comarca da Límia). Para além das associações representadas nas palestrantes, conta com a colaboração do concelho de Vilar de Santos, do Museu da Límia, da Arca da Noe e da Fundação António Agostinho Neto-FAAN (Angola).

Programa
I Encontro de mulheres da Lusofonia: Mulheres, territórios e memórias

18 de março (sábado):

9:30 Apresentação do encontro.


Painel 1. Moderadora: Maria Dovigo

10:00-10:40 Maria José Castelo, “Tecedoras de redes além fronteiras: A mulher no mundo depois do petróleo”.(Licenciada em Ciências Políticas na Universidade de Compostela, ativista da Pró-AGLP e da AGAL).

10:45-11:25 Teresa Moure, "Lá vem o ecofeminismo: entre a tradição e a transformação".(Professora titular de linguística na Universidade de Santiago de Compostela e escritora).

11:30: 12:15 Debate.


Painel 2. Moderadora: Maria Dovigo

16:00-16:40 Joana Sales, “Eu, caçadora de mim: sinestesias de uma identidade mestiça”.(Membro da Direcção da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta é também co-fundadora e Presidente da Assembleia Geral da FEMAFRO – Associação de Mulheres Negras, Africanas e Afro-descendentes em Portugal).

16:45-17:25 Helena Gonçalo Ferreira, "As mulheres e os grandes desafios pós-coloniais"(Doutoranda do programa doutoral em Estudos Culturais Universidade de Aveiro/ Universidade do Minho)

17:30-18:10 Lúcia Furtado, “Os eternos Imigrantes: Nascer em Portugal e não ser considerada portuguesa”. (Membro da direção da Femafro).

18:15-19:00 Debate.

22:00 Concerto de “O filo da Ferreña” (música tradicional galega), na Arca da Noe.

19 de março (domingo):

Painel 3. Moderadora: Maria Dovigo.
10:00-10:30 Assinatura de protocolos entre a Pró e as associações participantes, UMAR e Femafro.

10:30- 11:10 Teresa Sales, “Projeto Memória e Feminismos em Portugal”. (Membro da direção da UMAR. Coordena o Projeto Memória e Feminismos, da UMAR iniciado em 2013).

11:15-11:55 Luzia Oca, “Batukadeiras de Burela. Empoderamento através das práticas culturais femineizadas”. (Antropóloga, docente na Universidade de Tras-os-Montes e Alto Douro , Autora de diversos trabalhos de investigação e publicações sobre a comunidade cabo-verdiana da Galiza).

12:00-12:30 Debate.

12:30-13:00 Conclusões e encerramento.

Ler 243 vezes