domingo, 27 outubro 2019 17:29

Professor Alonso Estraviz receberá a Medalha de Ouro da Deputação de Ourense

Outorga-se-lhe este galardão pola sua defesa da língua e a cultura da Galiza

 

O pleno da Deputação de Ourense, na sessão ordinária correspondente ao mês de outubro,  aprovou  conceder a medalha de ouro da província ao lexicógrafo e membro da AGLP Isaac Alonso Estraviz, nascido em 1935 em Vila Seca, Trasmiras, pola sua defesa do nosso idioma e da cultura galega.

Isaac Alonso Estraviz é Licenciado em Filosofia pela Universidade de Comilhas (1973), em Filosofia e Letras pela Complutense de Madrid (1974) e na mesma universidade em Filologia Românica (1977). Diplomado em Cultura e Língua Portuguesas pela Universidade de Lisboa (1976). Doutor em Filologia Galega pela Universidade de Santiago de Compostela (1999) com a tese O Falar dos Concelhos de Trasmiras e Qualedro.

Entre 1975 e 1977 foi professor de Língua e Literatura Galegas no Ateneu de Madrid e desde entom até 1984 desempenhou o mesmo labor na Irmandade Galega-Lôstrego da capital do Estado. Como Professor de Bacharelato percorreu várias vilas e cidades galegas (A Rua, Ferrol, Ponte Vedra, Pontedeume, Santiago, Vigo, Corunha, Ordes) até obter destino definitivo no Instituto Otero Pedraio de Ourense em 1987. Em 1986, assistiu como observador ao Encontro sobre Unificação Ortográfica da Língua Portuguesa (6-12 Maio de 1986) no Rio de Janeiro. De 1990 a 1992, Professor Associado da Universidade de Vigo. Desde 1992-94 é Professor Titular de Didática da Língua e Literatura Galegas na Universidade de Vigo, em Ourense e Ponte Vedra. De 1994 a hoje, só  em Ourense. É membro da Comissão Linguística da Associaçom Galega da Língua e do Conselho de Redação da Revista Agália.

Em 1986 formou parte da delegação galega que viajou ao Rio de Janeiro para participar, com a categoria de observadora, no Encontro sobre a Unificação Ortográfica da Língua Portuguesa, cujas negociações culminaram quatro anos mais tarde na assinatura do Acordo Ortográfico de 1990.

Tem publicado, entre outros: Contos con reviravolta: arando no mencer (1973), Lugo, Castrelos; Dicionário galego ilustrado "Nós" (1983), Crunha, Nós; Dicionário da língua galega (1986), Madrid, Alhena; Estudos filológicos galegoportugueses (1987), Madrid, Alhena; Os intelectuais galegos e Teixeira de Pascoães: epistolário (2000), Sada, Ed. do Castro, em colaboração com Eloísa Álvarez da Universidade de Coimbra.

É de salientar o seu Dicionário da língua galega (1995), Barcelona, Sotelo Blanco,  magna obra da lexicografía galega.

Colaborou nos seguintes livros coletivos: Misal galego com o Ritual dos Sacramentos e uma antologia das principais orações do fiel cristão (1968), O estatuto de Galiza. Antecedentes e comentarios (1975, sob o pseudónimo Isaac da Bougueira); Mapa de Galicia (1979); Estudo crítico das Normas ortográficas e morfolóxicas do idioma galego (1983); Prontuário ortográfico galego (1985); Guia prático de verbos galegos conjugados (1988); Uso das línguas na perspectiva peninsular (1993); Seis Projectos de Expressom Artística Globalizada, para crianças de 6-8 anos (2002).

Traduziu, para a editora Sept, de Vigo, Os Salmos (1966); Joám XXIII, Pacem in terris; Paulo VI, Populorum progressio (1968); Concilio Vaticano II, A eirexa no mundo moderno (1973); Risco, Vicente, O problema político de Galiza (1976).

Tem colaborado em revistas, como Grial, Boletim de Filologia de Lisboa, Agália, O Ensino, Nós (Revista Internacional Galego-Portuguesa de Cultura), Temas de Linguística e Sociolinguística, Cadernos do Povo, Encrucillada, Raigame, Revista de Guimarães, A Nosa Terra.

 

Ligações de interesse:

Nova no jornal El Correo Gallego (Santiago de Compostela)

Entrevista no jornal La Region (Ourense)

Biografia na web da AGLP

Dicionário Estraviz em linha

 

 

 

 

 

Ler 196 vezes