×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 62

Info Atualidade (377)

Ernesto Guerra da CalPorta-estandarte da lusofonia da Galiza

PGL - Ernesto Guerra da Cal é na história da cultura galega um dos principais defensores da unidade linguística da Galiza, a sua pátria, com todo o mundo lusófono –essa outra pátria criada pela língua comum. Deu exemplo com os seus escritos, especialmente com os seus livros de poemas, onde, sem deixar de ser profundamente galego, ou melhor, justamente por ser profundamente galego, foi também linguisticamente português.

A sua posição em favor da unidade lusófona do seu país concretizou-se, nos derradeiros anos da vida, no seu compromisso, como representante da cultura galega, com os acordos ortográficos de 1986 e 1990. Deste facto tomam ensejo as reflexões que se tecem no trabalho “A lusofonia e a língua portuguesa da Galiza: dificuldades do presente e tarefas para o futuro”, sobre dificuldades e tarefas da lusofonia na Galiza.

Neste sinalado dia, oferecemos a hipótese de poder fazer descarga na íntegra desse trabalho que foi publicado nas Atas do Congresso Internacional de Língua, Cultura e Literaturas Lusófonas (Homenagem ao Professor Ernesto Guerra da Cal): Santiago, 15-17 de Setembro de 1994, Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, Pontevedra - Braga 1994, 452 pp. (Temas de O Ensino de Linguística, Sociolinguística e Literatura, volume VII-IX, núms. 27-38 (1991-1994), pp. 137-149).

Tabela de conteúdos do trabalho

0. A modo de preâmbulo: gozo e mágoa dos galegos ante o «Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990)»

1. Dificuldades do presente
1.1. O desapego dos demais lusófonos pelos lusófonos da Galiza
1.2. Raízes históricas da situação presente
1.3. O predomínio linguístico e político espanhol
1.4. A tentativa de isolar a língua portuguesa da Galiza
1.5. A Galiza, «filho pródigo» da lusofonia
1.6. Uma situação inconfortável

2. Algumas tarefas urgentes
2.1. O nome: «língua portuguesa (da Galiza)», não «língua galega»
2.2. Uma Gramática galega da língua portuguesa
2.3. Um Dicionário galego da língua portuguesa
2.4. Uma «Colecção dos clássicos galegos da língua portuguesa»
2.5. Uma «Academia galega da língua portuguesa»
2.6. Concluindo

Fonte original:

Escola Popular Galega

O passado sábado 12 de fevereiro, às 17h30 da tarde, inaugurou-se a Biblioteca Popular da Escola Popular Galega,  situada na Rua Real nº 12 (Vigo),  no mesmo edifício onde a 17 de maio de 1863 se imprimia pela primeira vez o livro Cantares Galegos de Rosália de Castro .

terça-feira, 22 fevereiro 2011 18:43

Prémio Personalidade Lusófona 2010 para Ximenes Belo

Luís Gonçales, Joám Evans, Ximenes Belo e Isabel Rei

Na segunda-feira passada três representantes da Academia Galega da Língua Portuguesa, Luís Gonçales, Joám Evans e Isabel Rei, assistiram, por convite do Movimento Internacional Lusófono, ao ato de entrega do prémio Personalidade Lusófona correspondente ao ano 2010, para o que foi designado Carlos Filipe Ximenes Belo, prémio Nobel da Paz de 1996 pelo seu trabalho em prol da independência de Timor-Leste.

Língua portuguesa e culturas lusófonas num universo globalizado

A União Latina organizou em 25 e 26 de outubro de 2010, em Lisboa, um encontro internacional intitulado "Língua portuguesa e culturas lusófonas num universo globalizado", que serviu de foro de discussões e de reflexão sobre o lugar da língua portuguesa no conhecimento e nas negociações internacionais.

130111_cantares_galegos_classicos.jpg

No contexto da inauguração da nova
Biblioteca Popular da Escola Popular Galega

Um novo ato de apresentação dos Cantares Galegos em Acordo Ortográfico está marcado para o vindouro sábado, 12 de fevereiro, em Vigo, no contexto da inauguração da nova Biblioteca Popular da Escola Popular Galega. Dará começo às 17h30 e intervirão Ernesto Vázquez Souza e Concha Rousia, académicos da Academia Galega da Língua Portuguesa.

Professor António Gil Hernández

Perante um interessado público, o professor António Gil Hernández falou no passado dia 25 de janeiro no ciclo Língua, Literatura e Naçom, organizado pela Agrupaçom Cultural O Facho da Corunha.

alt

O Diário da República publicou no passado dia 25 de janeiro, terça-feira, a resolução do Conselho de Ministros n.o 8/2011 que determina a aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no sistema educativo português no ano letivo de 2011-2012.

Dia 24 de janeiro, às 13h00, no Salão de Plenos da Câmara Municipal de Rianjo, o seu Presidente, Pedro Piñeiro Hermida assinou um protocolo de colaboração com o Reitor da UAb, Carlos Reis, polo qual a entidade universitária vai instalar um Centro Local de Aprendizagem (CLA) nesta vila galega, o que vem a representar a primeira instituição deste teor que se erige fora de território português.

UAb abre na Galiza o primeiro Centro localizado fora do território de Portugal
Academia Galega da Língua Portuguesa atuou de intermediária

O Concelho de Rianjo e a Universidade Aberta assinam hoje, 24 de janeiro, um Protocolo de Colaboração para a instalação de um Centro Local de Aprendizagem da UAb nesta vila galega. O ato vai ter lugar às 13 horas no Salão de Plenos da Câmara Muncipal, tendo como assinantes o Exmo. Sr. Reitor da UAb, Professor Doutor Carlos Reis, e o Exmo Sr. Presidente do Concelho de Rianjo, Pedro Pinheiro Hermida.

Está confirmada a assistência do Exmo. Sr. Pró Reitor da UAb, Domingos Caeiro, representantes dos grupos políticos municipais e da Fundação Castelao, Camilo Forján (Presidente da Câmara Municipal de Padrão), Gladys Bermúdez Siaba (Presidente da Associação de Empresários do Barbança), Xoaquín Canabal (Presidente de Associação de Empresários de Padrão, Rois e Dodro), José Martinho Montero Santalha (Presidente da AGLP), e a Comissão Executiva da Academia, Valentim Rodrigues Fagim (Presidente da AGAL e membro da AGLP), Alexandre Banhos (Presidente da Fundação Meendinho), além dos diretores dos centros escolares de Rianjo, e diversas personalidades.

O acordo para a instalação do Centro Local de Aprendizagem na Galiza, que abrirá as suas portas em breve no Auditório Municipal, inclui a dotação de diversas dependências como sala de exames, sala de computadores, gabinete do coordenador e biblioteca. Por sua parte, a Universidade contratará uma pessoa coordenadora, responsável pelo CLA, e enviará uma dotação suficiente de livros e materiais didáticos para os alunos.

A Universidade Aberta, uma das instituições europeias mais modernas e de maior prestígio na educação a distância, através do e-learning, abre na Galiza o primeiro Centro localizado fora do território de Portugal. Destarte cumpre-se um dos objetivos do Protocolo de Colaboração e Apoio Recíproco assinado entre essa Universidade e a Academia Galega da Língua Portuguesa, em Santiago de Compostela, em 5 de outubro de 2009, durante a realização do I Seminário de Lexicologia. No relacionamento entre Rianjo e a UAb, a Academia atuou no papel de intermediária, facilitando o contacto entre ambas as partes.

Mais info:

Image

Foi criada em 28 de Outubro de 2010, e oficialmente constituída em 6 de dezembro do mesmo ano, a Associação [Internacional] dos Colóquios da Lusofonia.

Pág. 22 de 27